quarta-feira, 29 de junho de 2011

Transformando o Lapa na Casa da Música de BH.



No próximo dia 10 de Julho, uma das casas de espetáculo mais importantes de Belo Horizonte, o Lapa Multshow, irá fechar suas portas por razões ligadas à especulação imobiliária. Nos últimos 14 anos, o estabelecimento se destacou pelo apoio a todo o tipo de artista, dos mais diferentes estilos, abrindo suas portas para grandes nomes da música brasileira, como Lenine, Elza Soares, Los Hermanos, Geraldo Azevedo, Jota Quest e Tianastácia, mas, principalmente, criando um espaço único na cidade para difusão do trabalho dos artistas locais, especialmente aqueles em início de carreira. Artistas como Vander Lee, Titane, Tavinho Moura, Cordel do Fogo Encantado e Casuarina tiveram a casa como primeiro local de apresentação ao grande público. Por lá já passaram nomes como Marina Machado, Tizumba, Eminence, Uakti, Renegado, Berimbrown, Seu Jorge, Farofa Carioca entre muitos outros. Do forró ao metal, do pop ao hip-hop, o Lapa realiza mais de 160 eventos por ano.

Por acreditar que a capital mineira não pode se dar ao luxo de perder uma casa desse porte e, principalmente, por reconhecer a falta de uma casa exclusivamente voltada para o apoio à produção musical de Belo Horizonte, artistas, produtores culturais e entidades ligadas à música estão lançando a campanha "Lapa para todos: Transformando o Lapa na casa da música de BH”. Para isso, eles estão se organizando para fazer a entrega de um projeto à Prefeitura, que pretende transformá-lo em um espaço de divulgação da música da capital, a partir da desapropriação do local, tornando-o um equipamento público municipal.

De acordo com o projeto, a Casa teria uma gestão da Sociedade Civil Organizada, por meio das entidades que compõem o Fórum da Música de Minas. Além de manter a realização de shows, o projeto visa criar no local um complexo de apoio à difusão e à circulação da produção musical da capital, envolvendo seminários, workshops, cursos de capacitação e aperfeiçoamento, até a montagem de um estúdio de gravação e de assessoria para divulgação dos trabalhos. Para tanto, poderiam ser realizadas parcerias com diversas instituições como universidades locais e Sebrae.

Isso, entretanto, só será possível com a sensibilização da PBH. Será necessária uma grande movimentação que demonstre a união e a força do segmento musical da capital, que mobilize os formadores de opinião, a mídia, entidades importantes da sociedade civil e, se possível, o público amante da música da cidade. A ideia é deflagrar uma campanha na web com depoimentos e apoios de artistas, além de organizar uma grande manifestação/show em frente à Prefeitura, no dia da entrega do projeto ao Prefeito.

Se quiserem mais informações, entrem em contato:

Juliano Jubão

31 87970821

31 98680318


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário